Teto maior para comprar imóvel com FGTS deve injetar R$ 4,9 bilhões na economia

A decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) de subir para até R$ 1,5 milhão o valor do imóvel que pode ser comprado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) trará um impacto de R$ 4,9 bilhões na economia neste ano. A estimativa foi divulgada nesta sexta-feira (17) pela Secretaria de Planejamento e Assuntos Econômicos (Seplan) do Ministério do Planejamento. Antes, o valor máximo do imóvel aceito nessas operações era de R$ 950 mil, em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, e de R$ 800 mil, nas demais regiões do País.