Presidente da Magazine Luiza aborda a nova era do empreendedorismo feminino em encontro do Instituto Fecomércio

A evolução e o avanço da mulher no empreendedorismo foram um dos temas centrais do 6º Encontro da Mulher Empresária e Administradora do DF, ocorrido na tarde desta terça-feira (12), no auditório da Legião da Boa Vontade (LBV), em Brasília. O encontro foi realizado pelo Instituto Fecomércio e pelo Conselho Regional de Administração do DF (CRA), em homenagem ao Dia da Mulher, celebrado em 8 de março. Uma das palestrantes foi a presidente da Magazine Luiza, a empresária Luiza Helena Trajano.

Luiza contou que está nos seus planos a abertura da empresa na capital. “As lojas físicas não vão acabar. Abrimos 100 lojas e queremos abrir mais de 100 lojas este ano”, comentou a empresária. Segundo ela, o poder hoje está nas mãos de quem tem o conhecimento e de quem faz acontecer. “Eu sou uma pessoa que faz acontecer e por isso ter foco é indispensável para o sucesso”, completou. Para ela, a mulher tem muita força, inclusive representa a maioria. “Nós somos a maioria, representamos 51% da população e, inclusive, somos mães dos outros 49%” disse. Para apoiar as mulheres do Brasil inteiro, a empresa Magazine Luiza lançou uma campanha intitulada “Eu meto a colher sim”, o objetivo é dar força para as mulheres denunciarem a violência doméstica e não se sentirem sozinhas.

Trajano disse também que as empresas mudaram com o tempo, antes eram totalmente mecânicas, as pessoas eram vistas como facilmente substituídas. E não se importavam umas com as outras. O foco só estava voltado para os lucros e  resultados, independentes dos meios. “Já na era digital é tudo organismo vivo, as pessoas são vistas como pessoas de valor, o ambiente de trabalho é agradável, as pessoas se importam umas com as outras, o foco está voltado para o bem estar físico, emocional mental e espiritual”, ressaltou a empresária. “Porque nessa época tão digital, se falou tanto em pessoas como nuca foi falado? Pois só duas coisas vão distinguir um profissional do outro ou uma empresa da outra: o atendimento e a inovação. E essas duas coisas não se faz,  se não com pessoas alinhadas e comprometidas”, disse.

A empreendedora contou sobre a criação da Lu, a vendedora virtual, que surgiu pela necessidade de um atendimento único, que só pode ser feito por um vendedor. “A Lu foi criada para humanizar o atendimento, pois todo cliente quer um atendimento diferenciado. Tanto faz na internet quanto na pessoa física, as pessoas querem atenção”, contou. Segundo ela, toda empreendedora precisa se questionar sobre alguns pontos para que a empresa tenha sucesso: devem analisar os 5 pontos que a empresa deve continuar fazendo, as 5 coisas que a empresa não faz, mas deveria fazer e as 5 coisas que a empresa faz e não deveria estar fazendo. “Se escutarmos só o que nos agrada, nós não crescemos”, completou.

Homenagem

O presidente da Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF), Francisco Maia, afirmou que o Encontro da Mulher Empresária e Administradora já se tornou uma tradição. “O objetivo é homenagear as mulheres não somente pelo seu dia, comemorado na última sexta-feira, mas queremos mostrar a força da mulher, a sua importância e coragem no empreendedorismo local e nacional” disse Maia. Ainda segundo ele, há muito o que se melhorar em termos de igualdade. “As mulheres continuam ganhando menos do que os homens. Sei dos desafios, que não são fáceis. Mas precisamos seguir lutando para combater todo tipo de descriminação e desigualdade. Mudanças são necessárias para esse cenário e podem começar com todos nós, dentro e fora das empresas” apontou o presidente da Fecomércio.

Representando o presidente do Conselho Regional de Administração do Distrito Federal (CRA-DF), Udenir de Oliveira Silva, o diretor de relações da instituição, Edmilson de Jesus Costa Filho, disse que a instituição se orgulha por ser um dos realizadores do evento. “Estamos na sexta edição e ficamos muito felizes em participar. Desejo muito sucesso a todas as mulheres e que ao final do encontro, as experiências dessas empreendedoras inspirem  todas para que possamos construir um país melhor”, ressaltou. Já a Líder do Grupo Mulheres do Brasil – Núcleo Brasília-DF, Janet Vaz, falou sobre  o atual momento, pois segundo ela, nunca se falou tanto em mulheres como atualmente. “Estamos vivendo um momento de transformação e mesmo ainda faltando muito a conquistar, precisamos agradecer as conquistas que tivemospara buscar nossa felicidade”, disse Vaz.

Talk Show

Logo depois da palestra de Luiza Trajano ocorreu o Talk Show: A mulher empreendedora e o caminho para o sucesso.  A moderação do painel foi coordenada por Elizabet Garcia Campos. “Agradeço a presença de todas, por estarem aqui contando suas histórias e motivando outras mulheres a começarem seus próprios negócios. Pois são histórias inspiradoras para nós”, afirmou Elizabet. Participaram como convidadas a empresária Meg Sud, proprietária da Confeitaria Chico Mineiro, a empresária Jacqueline Rodriguez, da Galeria Joy, e a Cris Cavalli, especialista em marketing & eventos. Todas contaram um pouco de suas respectivas histórias e foram unânimes em dizer para as mulheres da platéia para acreditarem em seus sonhos. Foram apoiadores do encontro: Fecomércio-DF; CRA-DF; LBV; Grupo Mulheres do Brasil – Núcleo Brasília-DF; Fênix Eventos; Clube Internacional de Brasília; ICB Oftalmologia; e Sabin – Medicina Diagnóstica.