Mercado tem 24,3 milhões de trabalhadores subutilizados em 2016

O número de trabalhadores desempregados e subocupados atingiu 24,3 milhões de pessoas no ano passado, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com esse número, o País registrou uma taxa de subutilização de 20,6% da sua força de trabalho em 2016.

De acordo com a pesquisa, no quarto trimestre, o índice de subutilização da força de trabalho foi ainda pior e chegou a 22,2%. A quantidade de trabalhadores nessa condição indica um aumento de 6% em relação ao terceiro trimestre de 2016 e de 31,4% frente ao quarto trimestre de 2015.

Entre as regiões analisadas pelo IBGE, a Nordeste registrou a maior taxa, de 33% no último trimestre de 2016, enquanto a menor partiu do Sul (13,4%). Entre os estados, a taxa de subutilização bateu 36,2% na Bahia, a maior registrada no país. A menor taxa foi registrada em Santa Catarina, de 9,4%.

 

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de Política de Cookies e Política de Privacidade para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.