FGTS perdeu em 17 anos quase 40% para avanço da inflação

O dinheiro aplicado no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) do trabalhador acumula perda de 39% para a inflação nos últimos 17 anos. Só no ano passado, a defasagem foi de 1,22%, atrás de todas as aplicações que não envolvem alto risco. É o que mostra levantamento realizado pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Em 2017, cerca de 10,2 milhões de trabalhadores poderão sacar o dinheiro de contas inativas do FGTS, segundo o governo federal.

Entre janeiro de 2000 e dezembro de 2016, o FGTS acumulou um retorno de 120,63%, segundo a Caixa Econômica Federal, responsável pelo fundo. No mesmo período, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) corroeu esses ganhos ao avançar 200,63%. Em 2016, a inflação de 6,29% ficou mais uma vez acima dos ganhos do Fundo, de 5,01%.