Fecomércio defende modernização da legislação trabalhista

A Câmara dos Deputados concluiu, na madrugada de quinta-feira (27), a votação da proposta de reforma trabalhista do governo. Aprovado por 296 votos a favor (eram necessários pelo menos 257) e 177 contrários, o texto segue agora para o Senado. Entre outros pontos, a reforma estabelece regras para que acordos entre empresários e representantes dos trabalhadores passem a ter força de lei, o chamado “negociado sobre o legislado”. A Fecomércio-DF apoia a proposta de reforma e entende ser possível fazer alterações, garantindo os direitos atuais. De acordo com a Federação, a regulamentação da terceirização é necessária para dar mais segurança jurídica na relação patrão-empregado.

Adelmir com maconicos-9

De acordo com o presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, as mudanças na reforma são fundamentais para que o Brasil possa superar a crise e alcançar um ritmo de desenvolvimento. “Como representantes dos empresários do comércio, entendemos que são importantes mudanças, sem as quais o País não terá como sair da grave crise em que se encontra. O Brasil precisa modernizar a legislação trabalhista para dar segurança jurídica às relações entre empregador e empregado, fortalecer a economia, conferindo competitividade ao País”, explica Adelmir.

Principais mudanças:

Férias – As férias poderão ser parceladas em três vezes ao longo do ano;

Horas extras – Será permitido, desde que haja acordo, que o trabalhador faça até duas horas extras por dia de trabalho;

Contribuição sindical – A contribuição sindical, hoje obrigatória, passa a ser opcional;

Banco de horas – Patrões e empregados podem negociar, por exemplo, jornada de trabalho e criação de banco de horas;

Multa por ausência de registro – Haverá multa de R$ 3 mil por trabalhador não registrado. No caso de micro e pequenas empresas, o valor cai para R$ 800.

Home office – O trabalho em casa (home office) entra na legislação e terá regras específicas, como reembolso por despesas do empregado;

Má-fé – Juízes poderão dar multa a quem agir com má-fé em processos trabalhistas.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de Política de Cookies e Política de Privacidade para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.