Empresários criticam projeto que cria regra para definir o preço da pizza de dois sabores

Em reunião realizada nesta segunda-feira (3), no gabinete do deputado distrital Rodrigo Delmasso (PTN), representantes da Fecomércio, do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar) e do Sindicato dos Supermercados (Sindsuper), debateram um Projeto de Lei que torna obrigatório a cobrança da pizza mista pelo valor da média aritmética dos sabores.

Athayde reuniao na CLDF-1

O projeto, de autoria do deputado Rodrigo Delmasso, está sendo discutido com o setor produtivo antes de ser levado para o plenário da Câmara Legislativa. O PL prevê que pizzas mistas produzidas pelas pizzarias, restaurantes, lanchonetes, padarias, produtores e afins deverão ser cobradas pelo valor aritmético dos sabores. Ainda segundo a proposta, o estabelecimento que não cumprir a norma será multado no valor de R$ 2.712. Mas, da forma como está, a matéria não atende os empresários da área de alimentação.

De acordo com o presidente do Sindhobar, Jael Antonio da Silva, não há necessidade da aplicação dessa lei no Distrito Federal. Ele defende que o setor não pode ser penalizado com multa excessiva, sem advertência ou alguma notificação. “Nós mostramos que essa lei não traz nenhum benefício para o nosso setor. Nosso pedido é para que seja retirado do projeto os setores de bares, restaurantes e supermercados (produtores de pizza). Entendemos que o exemplo citado como justificativa pelo deputado, de que uma padaria estava cobrando um valor abusivo em Vicente Pires, não pode respingar no nosso setor”, explicou Jael.

Durante a reunião, o presidente do Sindsuper, Antonio Tadeu Perón, sugeriu que a aplicação da lei seja para estabelecimentos com serviços delivery. “Além disso, no primeiro momento o dono do estabelecimento precisa ser notificado. Caso insista em descumprir a lei, aí sim poderá ser cobrado algum valor de multa, que não necessariamente seja de R$ 2.712,00. Isso é um valor altíssimo para o micro e pequeno empresário”, disse Perón.

Contribuição Sindical

O presidente do Sindhobar, Jael Antonio da Silva, solicitou durante o encontro que o deputado Rodrigo Delmasso apoie a exigência do comprovante de contribuição sindical no ato da liberação do alvará de funcionamento de qualquer estabelecimento. “Queremos que o governo exija a contribuição sindical para qualquer empresa que participe de uma concorrência, licitação ou ação junto à administração pública”, ressaltou.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de Política de Cookies e Política de Privacidade para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher quais tipos de cookies permitem neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.