CNC mantém expectativa de queda no varejo em 2016

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro avançou 2% entre os meses de outubro e novembro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (10). No entanto, na comparação anual, de novembro de 2015 com novembro de 2016, a queda foi de 3,5%, sendo o vigésimo mês seguido de queda. O acumulado nos últimos doze meses até novembro de 2016 apresentou um recuo de 6,5%, o que mantém o varejo na trajetória negativa iniciada em maio de 2015 (-0,5%).

Diante das condições econômicas ainda desfavoráveis, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) manteve suas expectativas de queda do varejo restrito entre 6,0% e 6,5% e um recuo entre 9% e 9,5% para o varejo ampliado (que inclui veículos automotores e materiais de construção) em 2016.

De acordo com a CNC, o resultado positivo demonstrado na pesquisa do IBGE, em novembro, foi acompanhado pela maioria das atividades analisadas, com destaque para o desempenho nas vendas de setores como Artigos de Uso Pessoal e Doméstico (7,2%), seguido pelo setor de Equipamentos de Escritório, Informática e Comunicação, com avanço de 4,3%, de Móveis e Eletrodomésticos (2,1%), de Hipermercados, Supermercados, Produtos Alimentícios, Bebidas e Fumo (0,9%).