CNC estima queda de 4,9% no setor de serviços em 2016

De janeiro a novembro de 2016, o volume do setor de serviços acumulou queda de 5%, segundo informou nesta quinta-feira (12) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação de novembro frente outubro. No entanto, o setor registrou uma ligeira alta de 0,1%. A previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é que o setor feche o ano de 2016 com perda de 4,9% em volume de receitas.

De acordo com a CNC, uma recuperação mais sólida do ritmo de atividade econômica no setor terciário ainda se encontra relativamente distante, uma vez que, na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve retração de 4,6%, a vigésima seguida. Por outro lado, na avaliação da entidade, a evolução da confiança dos empresários do setor, a aceleração no corte de juros aos consumidores e empresários e o fechamento menos intenso de vagas no mercado de trabalho, inclusive no setor de serviços, deverão fazer de 2017 um ano mais favorável para o segmento. O setor de serviços é o maior empregador do País, respondendo por 43% da atual força formal de trabalho.