Inovando e Transformando Empresas. Esse foi o tema do 5º Encontro da Mulher Empresária e Administradora do DF, realizado pelo Instituto Fecomércio, na tarde desta terça-feira (6), no auditório da Legião da Boa Vontade (LBV). O seminário teve o intuito de homenagear as mulheres pelo Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março.

O presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, fez a abertura e ressaltou a importância da mulher na sociedade. “Esse encontro já faz parte das comemorações direcionadas as mulheres e elas estão cada vez mais presentes em todas as atividades que nós podemos imaginar. Estão avançando com muita competência no mercado de trabalho, mas infelizmente algumas organizações ainda são extremamente machistas. Hoje já temos mulheres no segmento sindical, mas é necessário que elas se façam mais presente”, apontou.

A Subsecretária de Políticas para Mulheres do DF, Raissa Rossiter, ministrou a palestra: Inovação com Foco nas Alternativas de Geração de Receita e Renda. Raissa sempre trabalhou com incentivo ao empreendedorismo feminino e afirmou que a discussão da igualdade de gênero é o tema mais discutido mundialmente. “Quando falamos em gênero, precisamos compreender que é necessário reconhecer todos os tipos e classe de mulheres, seja cigana, indígenas, mulheres trans, mulheres negras, esse olhar deve ser especial, principalmente pela questão da diversidade”, afirmou. Ainda segundo ela, as mulheres têm uma aptidão nata para o empreendedorismo. “Atualmente, as mulheres representam 47% dos Microempreendedores Individuais, são 2.154.580 mulheres empreendendo no Brasil”, completou.

Logo após a palestra foi realizado o talk show Mulher & Gestão, com as convidadas Denise Zuba do Studio Denise Zuba; Manuela Bertoletti da Ora Design; Moema Leão da Casa Cor Brasília, Renata La Porta, da empresa Renata La Porta Buffet. A moderação do painel foi da diretora executiva do Instituto Fecomércio, Elizabet Campos. Segundo Elizabet, é necessário que todas as mulheres se unam para se ajudarem mutuamente. “Em um cenário de mudanças constantes, as ideias inovadoras das mulheres empresárias e administradoras têm sido fundamentais para transformar negócios e pessoas. E aqui é o espaço que podemos utilizar para trocar essas experiências motivadoras”, disse.

Moema afirmou que nasceu empreendedora. “Tenho 72 anos e acho que nasci empreendedora, pois sempre tive uma loucura para saber tudo e até hoje eu sempre tento me inovar e isso se reflete no trabalho que faço na Casa Cor. Essa é uma característica de uma empreendedora”, ressaltou. Já Denise Zuba, afirma que não nasceu empreendedora, mas foi desafiada para se destacar no empreendedorismo. “Meu maior desafio hoje em dia é em ajudar as pessoas de fato. Dentre as 60 pessoas que eu emprego, eu sempre tento entender e ajudá-las em suas dificuldades e lutas profissionais e pessoais”, defendeu.

Manuela Bertoletti afirmou que o empreendedorismo entrou em sua vida de repente. “Eu me formei em medicina, mas no meio do caminho decidi expandir, e comecei junto o curso de moda e me achei, me apaixonei, então começou a resiliência, muito importante no empreendedorismo, de ter força para terminar o curso de medicina e depois decidir o que me fazia feliz”, contou. Renata La Porta afirmou que sempre sentiu que o caminho dela seria no empreendedorismo. “Eu acho que nasci empreendedora, meu primeiro jantar eu fiz para a festa da minha prima com 150 convidados, na época tinha 12 anos”, comentou a empresária.

O encontro contou com o apoio da Fecomércio-DF, LBV; Fênix Eventos; Clube Soroptimista de Brasília; Clube Internacional de Brasília; Associação de Mulheres de Negócios e profissionais de Brasília (BPW); Mulheres do Brasil; e Associação de Mulheres Soroptimistas.