Os comerciantes brasilienses esperam um crescimento de 9,39% nas vendas da Páscoa em comparação com o mesmo período do ano passado. É o que revela a pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio, entre os dias 22 e 25 de janeiro, com 408 empresários de 11 segmentos. Em 2017, a estimativa de crescimento nas vendas foi de 1,44% para a data comemorativa.

O presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, explica que as vendas dos últimos anos foram baixas. No entanto, com inovação e produtos mais baratos, os comerciantes esperam um aumento nas vendas deste ano. “Alguns fatores auxiliam esse quadro, como a queda da inflação, somada a juros mais baixos e à retomada de confiança do consumidor. Dessa forma, a expectativa para este ano é de um crescimento nas vendas do varejo como um todo, por isso os empresários estão mais otimistas”, ressalta Adelmir. Ainda segundo ele, esta é a primeira data importante para o comércio em 2018 e funcionará como termômetro para os empresários medirem como serão as vendas durante o resto de 2018.

Os segmentos de eletroeletrônicos (16,61%) e chocolateria (15,60%) lideram o ranking dos lojistas mais otimistas para o período, seguido por calçados e acessórios (15%); artigos para presente/utilidade (14,50%); vestuário e acessório (12,57%); perfumaria/cosmético (7,05%); padaria/confeitaria (6,20%); loja de brinquedo (6,07%); floricultura/cestas (6,03%) e livraria e papelaria (3,54%). O único segmento que apresentou retração foi: supermercado/mercearia (-0,17%).

Neste ano, 26,5% dos lojistas apresentam expectativa de aumento de seus estoques para a Páscoa. Em 2017, apenas 17% dos lojistas esperavam aumentar o estoque, o que sugere uma Páscoa com maiores ofertas, aumentando assim a atratividade do consumidor. Os lojistas em 2018 esperam assim, em média, aumentar seus estoques em 4,10% em relação ao ano anterior, que registrou retração em 0,43%.

Em relação a valores, 75,2% dos empresários disseram que irão manter o preço do produto na comparação com 2017. O ticket médio de compra ficou no valor de R$ 192,13 e no quesito estratégias para o período, 55,4% pretendem usar estratégias para alavancar suas vendas, preferencialmente por: divulgação, propaganda, rede social e panfleto (84,1%) e promoção (59,7%). Essas estratégias demonstram maior disposição do lojista para investir nesse período, sugerindo um esforço maior para aproveitar a primeira data do calendário promocional visando recuperação de margens.

Consumidor

Entre os consumidores entrevistados, 47,9% pretendem presentear alguém. A maioria dos entrevistados (80,2%), independente do gênero, deve comprar chocolates e trufas para comemorar a Páscoa. A forma de pagamento preferida dos consumidores para este período será à vista, em dinheiro (69,8%), seguido por cartões de crédito (15,6%) e cartões de débito (14,6%). O gasto médio com presente pretendido pelo consumidor é de R$ 104,04. Já o lojista espera um gasto médio com presente de R$ 192,13. Quanto à experiência de consumo, o consumidor aponta o desconto/promoção em 47,9% como principal fator de indicação de uma loja nesta Páscoa.