Comércio do DF espera aumentar as vendas com o Dia dos Namorados

O levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio-DF, no período de 19 a 22 de março, mostra que a expectativa de crescimento nas vendas no Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho, é de 12,51% quando comparado com o mesmo período do ano passado. A pesquisa foi realizada com 404 empreendimentos do comércio de 14 segmentos diferentes. Os lojistas de Relógio e Óculos e Calçados e Acessórios lideram o ranking entre os mais confiantes, registrando expectativa de crescimento nas vendas na ordem de 24,50% e 21,43%, respectivamente.

De acordo com o presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, com o fim da greve e retomada da rotina, o Dia dos Namorados ainda pode trazer boas vendas. “Esta é considerada a terceira melhor data para o comércio. Esperamos que a expectativa dos empresários se concretize em números de vendas”, aponta Adelmir. O levantamento do Instituto Fecomércio constatou que a maioria dos lojistas entrevistados, 78,7%, declarou que vai manter o mesmo preço do produto em relação a 2017, não aplicando aumentos em 2018. Apenas 19,1% dos entrevistados declararam que aumentarão os preços. No quesito Estratégias para o Período, 63,9% pretendem usar estratégias para alavancar suas vendas, preferencialmente por: Promoções (59,3%), Divulgação em Rede Social/Panfleto (49,6%), e Kit de Produtos Direcionados (27,5%). Essas estratégias demonstram uma maior disposição do lojista para atrair o cliente e atender suas necessidades nesse período promocional. O empresário acredita que o consumidor gastará uma média de R$ 243,49 com presentes.

A pesquisa também retrata que a mão de obra ocupada no período deve expandir-se em 5,15% em média. Contudo, as ofertas devem ocorrer de forma bastante irregular entre os segmentos. O destaque esse ano nas contratações ficou para o ramo de floricultura, com expectativa de crescimento de +101,25% na ocupação de vagas de trabalho temporárias.

Consumidor

Entre os consumidores brasilienses, 47,9% dos entrevistados responderam que têm a intenção de comprar algum presente. Já os que não têm intenção de compra para o período, somam 46,6% (destes 66,8% declararam que não têm a quem presentear) e os que declararam não saber se efetuarão alguma compra somam 5,5%. Foram entrevistadas 401 pessoas para o levantamento. Nesse Dia dos Namorados, o levantamento revela que as preferências dos consumidores indicam a compra de produtos como Cosméticos e Perfumes (35,5%), Calçados e Acessórios (34,1%), Flores e Cestas (18,2%).

O preço médio do presente pretendido pelo consumidor é de R$ 267,81. Quanto à forma de pagamento, 49,5% dos consumidores declararam preferir o pagamento à vista na compra para o Dia dos Namorados. Essa preferência indica que grande parte da população consumidora com intenção de compra ainda se encontra com os limites de créditos restritos. Quanto à experiência de consumo, o fator de recompra, apontado por 59,4% dos entrevistados, foi o Desconto/Promoção. Isso indica que o consumidor buscará o melhor preço para decisão de sua compra, fidelização e indicação.